Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Momentos cinéfilos: Braveheart

por RG, em 12.12.11

 Gostar de filmes é normal.

 Ver um filme, seja no cinema, ou em casa, é uma das formas de entretenimento mais comuns, para qualquer pessoa. Até porque, existem de todos os géneros e feitios, podendo agradar a qualquer um.

 Como é normal num área que suscita muitas opiniões, existem bons e maus filmes. Existem aqueles, em que nós pensamos como é que podémos perder 10 minutos que fossem da nossa vida, a vê-los, e outros que, de tão bons, temos pena que acabem, mesmo que durem 3 horas. Normalmente estes últimos, têm o condão de nos cativarem de tal forma, que os vemos seguramente mais do que uma vez.

 

 Um bom filme, aquele que nos marca algures na nossa vida, vale obviamente pelo seu todo. Mas, existem sempre algumas cenas que são especiais. Que ficam eternamente na nossa memória (ou pelo menos até o Alzheimer deixar). Cenas de grande impacto visual, ou de diálogos poderosos. Instantes que nos fazem rir, ou chorar, acreditar, ou sonhar. São cenas que vivemos como se estivéssemos lá, naquele mundo. Que nos dão lições de vida, ou que simplesmente...fazem-nos gostar de filmes.

 

 Um dos filmes que muito apreciei, foi o Braveheart - O Desafio do Guerreiro, realizado e interpretado, pelo Mel Gibson. Com uma história supostamente baseada em factos históricos reais, é daqueles filmes que puxa pelo bravura do herói escocês William Wallace (não confundir com o whisky William Lawson's), que lidera um País, contra o cruel reinado inglês, do rei "Edward the Longshanks". 

 

 Recheada de violentas e realísticas cenas de guerra, acaba por ter como pano de fundo, uma história de amor. Com cenários belíssimos, uma banda sonora de grande nível, e interpretações valiosas, é um daqueles filmes épicos, apesar das imprecisões históricas que lhe foram apontadas.

  Acabou por vencer 5 óscares em 1996, entre os quais, Melhor Filme e Melhor Realização.

 

 Destaco duas cenas, absolutamente notáveis.

 A primeira, a do discurso de motivação das tropas escocesas, por parte do William Wallace. Simplesmente arrebatadora, que culmina com a inspiradora frase: "They may take our lives, but they will never take our freedom". Até apetece saltar para o meio da acção, e ir dar umas espadeiradas aos ingleses.

 

 A segunda, já no final (e peço desculpa por revelar, caso alguém não tenha visto o filme, e ainda o pretenda fazer), em que o protagonista é torturado até à morte, com o objectivo de arrancar o seu arrependimento. Com uma carga dramática impressionante, envolvendo o simbolismo do pano que lhe cai da mão, já no seu último suspiro, e que era a prova do seu amor pela mulher, que havia sucumbido anteriormente às mãos dos ingleses. 

 Neste caso, só mesmo alguém muito forte, ou insensível, é que não deixou escapar uma lágrima que fosse, ao ver tal cena.

 

RG 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:34



Onde o concreto e o abstracto se encontram.

Curiosos


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Dezembro 2011

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031



Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D