Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Quando se gosta de alguém

por RG, em 05.03.06
Normalmente quando surge interesse por alguém, as abordagens para conquistar essa pessoa, passam por uma de duas técnicas.
A técnica do caçador, ou a técnica do pescador.
E como se processam essas mesmas práticas?
A técnica do caçador, consiste numa aproximação mais directa. O “caçador” apaixonado, monta um cerco directo à sua “presa”. Aos poucos e poucos, o caçador tenta mostrar à presa, que a sua vida só sai a ganhar se o incluir nela.
As declarações de amor são bastante evidentes. Os convites estabelecidos, têm um propósito claro. Demonstrações de afectividade são mais que muitas e completamente escarrapachadas.
As suas armas de caça, são objectivas e incisivas. Prontas a causarem impacto.
Este sistema costuma ser utilizado por pessoas com um carácter muito forte, sendo que a pressão em torno da presa, é uma constante.
A técnica do pescador, recorre a um estratagema mais subtil.
O “pescador” que é atingido pela seta do cúpido, não procura sufocar abertamente a sua “pescaria”.
Procura conhecer primeiro a personalidade e os gostos, da outra pessoa, para então lançar o seu isco.
À medida que o tempo vai passando, e apesar de aparentemente lhe dar toda a liberdade, simulando algum desinteresse inclusive, vai tornando a sua presença junto da sua pescaria como algo essencial. Indispensável para esta.
Quem é pescador na vida, é por vezes considerado como, possuidor de uma personalidade um pouco falsa. Afinal de contas, para além de não serem totalmente claros os seus sentimentos, caso a “pescaria” dê para o torto, costuma sempre alegar que não tinha qualquer interesse nesse “peixe”.
E qual das duas técnicas, tem melhores resultados?
Não é certo. Depende da forma, do momento e por quem as aplica.
Mas acima de tudo, depende do alvo. Pois se há pessoas que se deixam caçar ou pescar, há outras que simplesmente não estão interessadas, pelo caçador/pescador.
E aí, não há técnica que prevaleça.

RG

Caçador ou Pescador?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:49


Onde o concreto e o abstracto se encontram.

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Março 2006

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031



Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D