Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Reflexões entre o Natal e a passagem do Ano

por RG, em 26.12.06

» O Natal já lá vai. Passou ligeiro, mais comercial do que nunca. Já há muito que não se comemora o nascimento de um tal menino que, apesar da sua humildade, supostamente mudou o mundo (para quem acredita nessa história). Não, o Natal é motivo para celebrar o poder de compra, mesmo para aqueles que não o têm. Foi um Natal patrocinado por bancos e estações de televisão, em que até as decorações natalícias, tiveram o dedinho de marcas automóveis. É preciso ter olho para o negócio e aproveitar a ocasião.

Mesmo assim, ainda acredito numa certa magia do Natal. Exceptuando nas filas para as compras, as pessoas até ficam mais sensíveis, mais afáveis. O ambiente na rua tem qualquer coisa de especial. Talvez seja do cheiro das castanhas assadas, juntamente com o encadear das iluminações, que nos deixa sob uma espécie de embriaguez natalícia, ao ponto de nem repararmos na pobreza que continua patente em cada esquina. Para além disso, sabe bem a reunião familiar, o desfrutar das comezainas, e o poder abrir uma ou outra prendinha.

 

» Como qualquer ano, 2006 foi recheado de pequenas coisas, que na altura podem passar um pouco despercebidas, mas que acabam por fazer a diferênça.

 

» Profissionalmente até correu bem. Entre a saída e a entrada de colegas, que deixaram a sua marca pela positiva (uns mais do que outros), houve uma promoção pelo meio. Foi meio “à pressão”, mas não deixou de ser uma promoção.

 

» Telemóvel e carrito novos, foram os bens materiais adquiridos, mais significativos.

 

» Já no campo amoroso, a coisa não foi lá muito famosa. Se existe algo que continuo a achar que não tem ciência exacta, é o amor. Por mais teorias que se apregoem, por mais conselhos que se tenha de terceiros, o amor é totalmente imprevisível. Não escolhemos por quem nos apaixonamos e pronto. Não foi ainda o ano de encontrar a moçoila certa. Cabeçadas à parte, fica a ideia que apesar de tudo, mais vale um lago agitado por umas pedradas de amor, do que um charco estagnado de sentimentos (ou então não).

 

» 2007 está à porta. Sinceramente, não tenho nenhum desejo em especial para o ano que se avizinha.

Preocupações? Só o aquecimento global, que vai tornar o verão mais insuportável. De resto, é deixar o dia-a-dia correr.

 

Bom 2007 para todos.

RG

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:38

Segurança Automóvel

por RG, em 17.12.06

Existem dois tipos de condutores.

Há quem considere que ter um automóvel seguro, é ter ABS com EBD e BA, Airbags SRS por todo o lado, coluna de direcção e pedal de travão flexíveis em caso de colisão, fecho de segurança para crianças, carroçaria com elementos de aço de alta resistência, sistema de intrusão mínima de habitáculo, cintos de segurança com pré-tensores, sistemas ISOFIX, energy absorbing bumpers e structure, sinais de aviso para isto e para aquilo, travões de disco ventilados, 5 estrelas no teste EuroNCAP, etc, etc, etc.

E há aqueles, que consideram que um veículo seguro, é ter no vidro de trás um autocolante a dizer…”Cuidado! Bebé a Bordo!”.

Provavelmente, na cabeça deste último grupo de pessoas, a questão que se coloca é a seguinte:

Porque é que a industria automóvel perde tempo e dinheiro a investir em tecnologia de ponta, para tentar conseguir fabricar automóveis o mais seguros possível, se tudo o que necessário, é colar um simples autocolante no vidro traseiro?

Quem coloca este tipo de autocolante no carro, deve com certeza pensar, que cria assim, digamos, uma espécie de escudo invisível, que os vai proteger de tudo e todos.

Sinceramente, este autocolante serve para quê?

Será que quem vai a 200 Km/h na estrada, vai conseguir vê-lo, e pensar: “Humm.. este aqui tem um bebé a bordo, por isso, tenho que ter muito cuidadinho a ultrapassá-lo.”?

Quem tem um autocolante destes, deve pensar que em caso de acidente, choque em cadeia, ou despiste, vai sair incólume dos mesmos, pois todos os outros condutores têm a responsabilidade de não tocarem no seu automóvel, devido ao aviso em como tem um bebé a bordo (mesmo que na altura, até nem o esteja a transportar).

Portanto, e pensando bem, vamos todos colocar um autocolante no vidro de trás do nosso carro, pois assim evitaremos maleitas maiores.

Quem não transporta bebés, também não faz mal. Pode sempre colocar um autocolante do tipo: “Ainda não tenho bebé a bordo, mas espero vir a ter, por isso cuidadinho. É favor não me bater!”

As companhias de seguro, é que se calhar não vão achar muita graça à ideia.

RG

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:45

Configurações

por RG, em 07.12.06

Dando jus ao seu nome, o blog encontra-se em configurações!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:11

Equivoco

por RG, em 07.12.06

Não percebo a tua reacção.

Sem qualquer aviso, sem motivo aparente, optas pelo silêncio, quebrando o elo de comunicação que nos unia.

Se querias toda a minha atenção, é agora exclusivamente tua.

Percorro os teus contornos, na esperança de encontrar um sinal, um sinal teu que me permita entender o que se passa contigo.

Mas manténs-te inalterável. Não dizes nada.

A tua postura é de indiferença, incólume, diria quase trocista em relação ao meu estado de espírito.

Não esperava isto de ti, pois já te conheço há muito tempo.

A surpresa dá lugar à desconfiança. O prazer da tua companhia, é substituído pela irritação da tua postura.

Foi algo que eu fiz?

Só pode ter sido.

E então entendo. Descortino onde errei.

Nem me apercebi que, sem querer, tinha sentado em cima do comando, e carregado no “Mute”.

Falha minha, desculpa televisão.

RG

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:43


Onde o concreto e o abstracto se encontram.

Curiosos


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Dezembro 2006

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31



Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D