Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Há quem queira sempre mais

por RG, em 28.02.12

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:00

Desafios

por RG, em 27.02.12

 É normal que no decorrer das nossas vidas, sejamos confrontados com os mais variados desafios. 

 Uns mais esperados que outros. Uns mais difíceis que outros. Uns mais longos que outros.

 Depois, existem aquelas situações em que nem deviam ser consideradas desafios, mas que acabam por se tornar um. Trâmites que deviam ter um curso simples, mas que, por este ou aquele motivo, acabam por se complicar. São passos seguros, que acabam por tropeçar nas pedras do nosso caminho.

 Ora, os desafios existem para serem ultrapassados, para testarem e darem-nos a perceber os nossos limites. Só que por vezes, por mais esforço que façamos, chegamos à conclusão que simplesmente...não conseguimos superar certos obstáculos.

 

 Foi precisamente isso que me aconteceu há tempos, reconheço. Num daqueles momentos, que nem devia ser inicialmente considerado de desafio. Só que sem querer, e de mansinho, passou a ser. E pior...perdi.

 É um bocadinho frustrante admitir, mas ao menos o desafio não era de supra importância.

 Que desafio era?

 Bom, basicamente o que aconteceu foi que retirei um lenço do pacote (um pañuelo, como se diz em espanhol), desdobrei-o e...depois vi que não ia precisar utilizá-lo. Até aqui tudo bem. O pior veio a seguir. É que ao tentar dobrá-lo novamente, e voltar a colocá-lo no pacote, revelou-se uma tarefa inconcebível. Bom, no fundo até o consegui fazer, só que ficou todo amachucado. Então apercebi-me que por mais que tente, é extremamente complicado para mim, voltar a dobrar um lenço como estava de origem, e tornar a colocar direitinho no pacote. Possivelmente existe muito boa gente que até faz isso de olhos fechados, mas confesso que por mais que tente, sai sempre, ou melhor, entra sempre tudo torto. Continuo a falar de lenços, atenção.

 Não sei como raio embalam estas coisas nas fábricas, mas devo dizer que é um trabalho pouco reconhecido neste mundo. Diria que é uma obra quase de artista. Ou então, sou eu que simplesmente não tenho jeito nenhum para isso...deve ser mais isso.

 

RG

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:37

Sensibilidade

por RG, em 22.02.12

 Uma das melhores perguntas que se pode fazer a alguém, no local de trabalho, é: "- Estás muito ocupado(a)?".

Então se o patrão estiver ali ao lado, ou a passar perto, é do mais conveniente possível.

O que será que a outra pessoa deve responder?

 "- Olha, tem graça porque por acaso estava mesmo aqui sem fazer nada. Até estava a aproveitar, para tratar da horta no Farmville."

 

RG

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:32

Do meu ponto de vista

por RG, em 17.02.12

 Não devemos esperar que as outras pessoas nos tragam a felicidade, mas sim, esperar que elas contribuam para a mesma.

 

RG

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:31

Estatísticas

por RG, em 14.02.12

Se a taxa de divórcios é cada vez maior hoje em dia, mais vale namorar toda a vida.

 

RG

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:21

Acontece

por RG, em 12.02.12

 E se de repente uma desconhecida nos aborda por trás, na rua? Isso é? Bom, isso é...um acidente automóvel.

 Infelizmente, quem conduz, ou mesmo quem anda à pendura, está sujeito a envolver-se num acidente rodoviário. 

 Independentemente de se ser bom ou mau condutor, de se ter um carro xpto ou um chaço, ou de se ser mais ou menos prudente, qualquer um que ande nas estradas, é sujeito aos azares da condução automobilística.

 

 Sexta-feira passada, tocou-me a mim. Felizmente que não foi nada de grave. Apenas custou-me umas boas horas de seca, que de bom grado dispensava, e um concerto perdido. O acidente em si foi daqueles que, por sensivelmente meio minuto, tinha escapado. Estava parado num semáforo vermelho, com outro carro atrás, quando veio disparado uma terceira viatura, nomeadamente um táxi, que embateu no veículo que estava atrás do meu que, dada a força do impacto, deu-me uma bela pantufada. Ok, nada de feridos, apenas a condutora do carro que levou com o táxi, ficou meio abananada com embate. 

 O taxista justificou-se, indicando que a passageira que transportava, estava aos gritos com ele devido ao local onde a havia de deixar, pelo que se virou para trás para esgrimir argumentos com ela, causando a distracção que se revelaria fatal. A passageira, essa, pirou-se a sete pés do táxi, assim que se deu o acidente. Não deve ter ganho para o susto, mas ao menos poupou na bandeirada...

 

 Ora, após a surpresa inicial, tudo se resolveu de forma pacífica. Foi chamada a polícia, pelo sim, pelo não. A mesma, deve-se dizer, foi bastante prestável e acessível, facultando as dicas necessárias para procedermos. Reparei obviamente que para eles, situações destas, acontecem aos pontapés, e que por vontade dos mesmos, evitariam por os pés neste tipo de cenário, a menos que envolvessem feridos, ou existissem divergências entre os intervenientes. O que é de todo compreensível, pois existem situações bem mais graves, que carecem da sua intervenção.

 

 Resumidamente, tudo correu de forma tranquila. Não houve cá escândalos e, principalmente, como referi atrás, não houve feridos. Apenas chapa amolgada/partida. Tudo até se podia ter resolvido de forma mais célere, não fosse uma certa inexperiência dos envolvidos, o que até é bom sinal, pois revela que não tínhamos passado por muitos acidentes.

 

 Posto isto, fica só um conselho, para quem conduz, para evitarem perder tempo como eu perdi. De todas as traquitanas que possam ter no carro, juntem o seguinte:

- Declarações de Acidente Amigáveis extra. Se por acaso alguém se enganar a preencher uma, e cair na tentação de a rasurar, a mesma fica inválida. Pelo que convém ter uma ou duas a mais (não vá o número de carros envolvidos no acidente ser grande), para prevenir.

- Uma caneta. Parece mentira, mas é um objecto que raramente tenho no meu carro. Ora, como ainda não se consegue preencher uma Declaração via "smartphone", é um pouco complicado fazer o que quer que seja, sem uma simples canetinha (a polícia costuma ter, mas quando se piram, levam-na com eles).

 

 Se tiverem mesmo sorte, não vão precisar nada disto, porque não sofrem acidentes. Afinal, só de pensar que por mais meio minuto, o sinal passava a verde..

 

RG 

  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:01

Ó diabo...

por RG, em 08.02.12

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:17

A explicação

por RG, em 07.02.12

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:31

Assim de repente...

por RG, em 06.02.12

...o que se pode oferecer de prenda, a alguém que ganha sensivelmente 1 milhão de euros por mês?

 

RG

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:31


Onde o concreto e o abstracto se encontram.

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2012

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
26272829



Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D